Bolsonaro ataca o Judiciário em Porto Alegre

Enquanto o TSE julgava a ação do PDT que pede a sua inelegibilidade por abuso de poder na campanha eleitoral do ano passado, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) cumpria agenda na capital gaúcha e, mais uma vez, atacava o Poder Judiciário.

Ele desembarcou no aeroporto Salgado Filho na manhã desta quinta-feira (22), onde pouco mais de 200 pessoas o aguardavam. Logo após, seguiu para a sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, onde ocorria a Transposul (Feira de Transporte e Logística). Lá, almoçou com empresários do setor e fez um breve discurso no qual se queixou do julgamento e de outras atitudes do Poder Judiciário que investigam seus procedimentos na tentativa de golpe e no boicote à campanha de vacinação.

Bolsonaro disse que na última quarta-feira agentes do Ministério Público Federal estiveram em sua casa em Brasília para saber da situação vacinal de sua filha Laura, de 12 anos, após denúncia apresentada por deputada do PSOL, sem citar o nome da deputada e nem o teor da denúncia. Também criticou o julgamento em andamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que foi suspenso no início da tarde e deverá ser retomado na próxima terça-feira (27).

:: Moraes suspende julgamento de Bolsonaro no TSE; sessão será retomada na próxima terça (27) ::

"Hoje começa o meu julgamento político. Ou melhor, não é político, é politiqueiro. Da mais baixa intenção por parte de alguns. Não estou aqui atacando o TSE, longe disso. Mas a fundamentação é coisa inacreditável. &39;Reuniu-se com embaixadores&39;", disse ele sobre o motivo da ação do PDT.

Em declaração à Folha de S. Paulo, ele voltou a questionar o sistema eleitoral, conduta que o levou a ser julgado no TSE. Dizendo-se perseguido pelo tribunal, disse que suas reclamações sobre supostas irregularidades não foram devidamente apuradas. "Nós realmente levantamos indícios de irregularidades. E quando questionamos o TSE, qual foi a resposta poucas horas depois? Indeferiram, e uma multa de 22 milhões de reais".

Durante o almoço, Bolsonaro sentou-se à mesa com o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no RS (Setcergs), Sérgio Gabardo, e com os deputados tenente-coronel Zucco, Rodrigo Lorenzoni, Giovani Cherini, Sanderson, Capitão Martim e Gustavo Victorino. À noite participa de um jantar na galeteria Casa do Marquês, e depois deverá assistir ao jogo Grêmio x América-MG com seu amigo Renato Portaluppi. 

:: Bolsonaro inelegível? Confira o passo a passo do julgamento que começa nesta quinta-feira ::

Na sexta-feira (23), o ex-presidente participará de atividades fechadas do PL na Assembleia Legislativa, onde são aguardados cerca de 500 filiados. Na pauta está a preparação do partido para as eleições municipais de 2024.

Segundo o presidente do PL no estado, deputado Giovani Cherini, o ex-presidente vai abonar a filiação de cerca de 20 prefeitos e vice-prefeitos, além de possíveis candidatos na eleição do ano que vem. O último compromisso será um almoço para 300 pessoas na churrascaria Cultura Gaúcha, no Parque Harmonia. Bolsonaro retorna para Brasília às 17h.

com informações da Rede Brasil Atual

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Thalita Pires e Katia Marko

Relacionadas

  • Moraes suspende julgamento de Bolsonaro no TSE; sessão será retomada na próxima terça (27)


Publicado

em

por

Tags: