Datafolha- metade dos brasileiros querem que Bolsonaro seja

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (4) mostrou que 51% dos eleitores brasileiros querem que Jair Bolsonaro (PL) seja punido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e se torne inelegível por oito anos. Outros 45% acreditam que o ex-presidente, no entanto, é inocente.  

Continua após publicidade

Ele é acusado de abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação para favorecer a si mesmo no processo eleitoral do ano passado. Na ação que tramita no TSE consta a reunião com embaixadores pouco antes das eleições de 2022, na qual Bolsonaro atacou as urnas eletrônicas e criticou ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Na ocasião, entre outras declarações, Bolsonaro tentou deslegitimar a segurança das urnas eletrônicas. “Nós não podemos enfrentar mais uma eleição, sob o manto da desconfiança. Temos que ter a certeza de que o voto de um eleitor, vai para aquela pessoa”, disse.  

Relembre: Bolsonaro espalha fake news contra sistema eleitoral para embaixadores; oposição vai à Justiça


Durante 50 minutos, Bolsonaro discursou para embaixadores estrangeiros sobre as eleições no Brasil / Foto: Divulgação

O ex-presidente também atacou diretamente ministros do STF. “Me acusam de atentar contra as eleições e a democracia. Quem faz isso é o próprio TSE … Nós vemos claramente, ministro Fachin foi quem tornou Lula elegível, e agora é presidente do TSE. Ministro Barroso foi advogado do terrorista Battisti que recebeu aqui o acolhimento do presidente Lula em dezembro de 2010. O ministro Alexandre de Moraes advogou no passado para grupos que, se eu fosse advogado, não advogaria”, insinuou Bolsonaro. 

Segundo o corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Benedito Gonçalves, há um “rico acervo probatório” contra Bolsonaro. “Foram realizadas cinco audiências e requisitados todos os documentos, inclusive procedimentos sigilosos, relacionados aos fatos relevantes para deslinde do feito” durante três meses.

:: Bolsonaro pode ficar inelegível já em abril, Moraes entrega perícia de minuta golpista e mais ::

Entre esses documentos está a minuta de um decreto golpista encontrada na casa do ex-ministro de Justiça de Bolsonaro, Anderson Torres, pela Polícia Federal. O documento autorizava Bolsonaro a declarar estado de defesa nas sedes do TSE para reverter o resultado da eleição presidencial do ano passado. 

O PDT, partido que solicitou a inclusão do documento na investigação, afirmou que a minuta seria um "embrião gestado com pretensão a golpe de Estado", o que contribui com “os argumentos que evidenciam a ocorrência de abuso de poder político tendente promover descrédito a esta Justiça Eleitoral e ao processo eleitoral, com vistas a alterar o resultado do pleito".  

:: 'Destino é a prisão': Parlamentares de esquerda reagem à chegada de Bolsonaro ao Brasil :: 

Ao incluir a minuta no processo, Benedito Gonçalves afirmou que a tese apresentada pela sigla possui “aderência”, "em especial no que diz respeito à correlação do discurso com a eleição e ao aspecto quantitativo da gravidade".

O discurso, prosseguiu o ministro, “não mirava apenas os embaixadores, pois estaria inserido na estratégia de campanha do primeiro investigado de 'mobilizar suas bases' por meio de fatos sabidamente falsos sobre o sistema de votação".    

:: Bolsonaro volta ao país para tentar salvar liderança e enfrentar embaraço por sucessão política ::

Edição: Vivian Virissimo

Relacionadas

  • Justiça de SP suspende lei que autorizava ensino cívico-militar em Santa Fé do Sul

  • Após acordo com Lira, governo prevê instalação de comissões mistas para próxima semana

  • Com 250 famílias, MST ocupa engenho improdutivo em Timbaúba (PE)

Outras notícias

  • Análise | A extradição de Julian Assange

  • Comunidade acadêmica denuncia censura em rádio da Universidade Federal do Ceará

  • Com suástica em cartazes, grupo antivacina entra na Câmara de Porto Alegre e agride vereadores


Publicado

em

por

Tags: